!

!
"Só existe uma coisa melhor do que fazer novos amigos: conservar os velhos."

Tuesday, February 24, 2015

Arriscar é: aliviar

"O MISTÉRIO DOS SAPATOS APERTADOS

Um homem usava todos os dias uns sapatos 2 números abaixo.
Passava o dia inteiro a trabalhar com esses sapatos calçados, extremamente desconfortáveis. Notava-se perfeitamente o sacrifício que ele fazia para aguentar as dores nos pés.
Quando um colega lhe perguntou a razão de ele andar sempre com esses sapatos, o homem explicou:
- Ganho mal, tenho sempre fome, não tenho carro, a minha casa está a cair aos bocados... O único prazer que tenho na vida é chegar a casa e tirar os sapatos...
(Pois…sendo assim…)"
Adaptado

Wednesday, February 18, 2015

Arriscar é: In diferença

A indiferença mais tocante e chocante é a que não repara.
Desde um novo penteado até uma nova atitude passando por qualquer novo adereço,
a indiferença magoa.
Que dirá o Deus omnipresente quando só damos com Ele quando a vida toca os seus extremos?
Tomar mais consciência da Sua presença é encher a vida de mais graça, daquela que depois se torna transbordante, contagiante!
Assim se fará a diferença.

Monday, February 16, 2015

Arriscar é: tocar

O toque de Jesus muitas vezes curava outras vezes afastava aqueles que acusavam o toque.
Connosco também será assim. 
Há toques que nos curam e há toques que nos afastam.
É normal acusar o toque ou senti-lo.
O toque que cura vai da pele ou dos ouvidos ao coração.
E se é bom sermos assim tocados que bom é podermos tocar os outros dessa maneira.


Wednesday, February 11, 2015

Arriscar é: conhecer

Antigamente as pessoas conheciam-se desde o principio
hoje começam pelo fim.

Friday, February 06, 2015

Arriscar é: o amor de todos os amores

"Seria ainda pouco pensar em Deus como o primeiro amor, ou o maior, entre muitos outros amores. Desse modo, Deus ainda seria um entre tantos, mesmo sendo o maior ou o primeiro entre todos. Seria ainda o absoluto, desligado de nós, aquele que, mesmo que benignamente nos atraísse, continuaria a despertar desconfiança, ressentimento e concorrência. Pelo contrário amar a Deus com todo o coração, significará amá-lo como o amor de todos os amores (entre pais e filhos, entre amado e amada, entre amigos, entre quem pede e quem dá), o laço de todos os afectos, a compaixão de todos os encontros, a esperança de todos os lugares, a fecundidade de todas as artes. Amá-lo significa reconhecer que sem ele não podemos viver; que, não o possuímos como coisa nossa, o temos da nossa parte. E, por isso, lhe podemos dizer que permanece para mim um outro e que me é necessário, dado que o que eu sou de mais verdadeiro é o que existe entre nós é entre-nós e entre-tanto-e-tantas-coisas que o nosso amor a Deus se desenha e se realiza. Assim, não será amado sem amores e sem afectos, sem encontros, sem lugares e sem artes. Pelo contrário, é nesses amores e afetos, nesses encontros, lugares e artes que Deus é amado. Sim com todo o coração e com todas as forças. Cada pessoa, cada circunstância, cada elemento do mundo é, de facto, lugar da passagem e do encontro com O-sempre-presente. Neles, o nosso amor A-Deus.
in José Frazão Correia (2013). A fé vive de afecto, pp.107-108. Paulinas Ed.

Monday, February 02, 2015

Arriscar é: nt 19

Vieram quase todos!
Os pobres, os doentes, os cativos, os cegos, os pecadores e os publicanos...
Enfim os últimos!
Quiseram ver e aprender como Ele É.
-"Vinde e vede!" disse o José! 
E ficamos com Eles! Eram quatro horas.
Vimos o que tantos desejaram ver no passado e acreditámos.
Havia quem quisesse fazer ali uma tenda e permanecer.
Muitos pediam:
-"Fiquem connosco, pois a noite vai caindo e o dia já está no ocaso".
Outros exclamavam:
-"Não nos arde o coração, quando Ele nos olha?"
Na verdade, não vieram ainda todos e estranhamente é Ele que insiste em ir à procura da ovelha perdida, dos filhos pródigos.
Não Desiste nem se Cansa, até ao fim!
Ó Luz terna e suave, vem sempre nascer e encher-nos de Ti!
Amén!

Arriscar é: nt 18

Mais um Shabat:
Hoje uma sombra vinda de Jerusalém parecia querer cobrir-nos.
Jerusalém que não acolhes Aquele que vem libertar-te.
O José falou em ir para o Egipto.
Como no passado será a partir de lá que virá o libertador, a Nova Páscoa.
Já tenho saudades...
É bonito ouvir a Maria dizer serenamente o seu sim mesmo nesta hora difícil:
"A minha alma glorifica o Senhor
e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador".

Arriscar é: nt 17

Tudo parece um sonho!
Os três sábios persas voltaram à sua terra por outro caminho.
Já não confundem o que é de César com o que é de Deus.
O José e a Maria partilharam o seu sonho de serem uma Família e como a realidade os tinha baralhado de inicio, mas que que o Sonho falou mais forte.
Já eu tinha sonhado com uma ovelha de brincar e o Carpinteiro de Nazaré concretizou-o.
Felizes os que se deixam guiar pelos sonhos que Deus quer. É assim que o AMOR nasce!

Arriscar é: nt 16



À entrada da Gruta surgiu uma nascente, e eis que brota em todas as direcções e tudo viverá por onde quer que passe este rio
É este rio da água viva, brilhante como cristal, que sai do trono de Deus e do Cordeiro.
Foi ao profeta Ezequiel (Ez 47, 1ss) que Deus revelou que proporcionaria abundantes bênçãos para o Seu povo. Essas bênçãos, foram representadas por um rio que flui da casa de Deus, fertilizaria toda a terra, produzindo colheitas abundantes, curas milagrosas, vida em abundância.
Agora bem eu sei a fonte que mana e corre,
Embora seja noite.
Aquela eterna fonte não a vê ninguém
E bem sei onde é e donde vem,

Embora seja noite.
Não pode haver, eu sei, coisa tão bela
E céus e terra beleza bebem dela,
Embora seja noite.
E desta fonte nasce uma corrente
E bem sei eu que é forte e omnipotente,
Embora seja noite.
Aqui está a chamar as criaturas
Que bebem desta água, e às escuras,
Porque é de noite.
Esta viva fonte que desejo,
Em este Pão de Vida, aí a vejo,
Embora de noite.

Arriscar é: nt15

Pois do Oriente vimos a Sua estrela e viemos adorá-Lo" (Mateus 2:1-2).
Assim, começavam a descrever a sua longa aventura aqueles santos Magos e de imediato todo o brilho das Estrelas se concentrava no olhar da Maria.
Saboreavam, ela e o José, tudo aos poucos, na certeza de tão grande mistério ser impossível de conter de uma só vez. 
Em tudo acolhiam a Eterna Luz que em Si encerra o melhor dos céus, o melhor da terra.
E o Jesus, cadentemente, daí a pouco deixou cair a cabeça tonta de sono no regaço virgem da Mãe.
Dorme em Paz, ó Jesus!

Friday, January 23, 2015

Arriscar é: estar sempre

Jesus está Sempre e nós?
Ao longo da vida vamos registando momentos em que percebemos que Deus esteve presente. Foram momentos extremos em que a vida foi provada e a prova foi vencida com o nosso recurso a Deus.
Algumas pessoas lembram esse momento como culminante e repetem a sua descrição vezes sem conta. Sempre com emoção e gratidão revelando uma especial presença e intervenção Divina. Ao ouvirmos esses testemunhos não deixamos de ficar tocados.
Realmente esses cumes da nossa experiência espiritual, apesar de poucos, são fantásticos.
Mas, será que Deus está assim tão pouco na nossa vida?
O que será ter a consciência permanente da nossa vida em Deus e de Deus na nossa vida.
Creio que é esta a beatitude dos pastorinhos Francisco e Jacinta. E esta presença contínua de Deus na sua vida foi alimento e alimentada numa doce intimidade.
Na realidade Deus está sempre connosco que pena e desperdício só o entendermos esporadicamente.
Se soubéssemos acolher Esta presença e colocarmo-nos Nela…
Que,  com os Beatos Francisco e Jacinta, saibamos fazer e dizer mais vezes: “Ó Jesus é por vosso amor!”

Arriscar é: nt 14

Hoje vieram todos à porfia...
Alguém me tira os camelos da entrada da Gruta?
Quero lá entrar mas tenho medo deles!
Hei-de achar o buraco de uma agulha para passar por estes camelos e entrar ali onde os ricos são pobres e os pobres são reis.
Chegou cá fora que uns Magos entraram lá dentro e despojaram~se dos seus tesouros por Aquele Tesouro que vieram adorar.
Há um Bem maior na vida pelo qual vale a pena renunciar ao resto.
Acho que por isso não vou amuar, vou antes amar e ficar cá fora a olhar para a Estrela maravilhosa que ilumina esta noite e a saborear o cheirinho a incenso que vem lá de dentro!
Ah, vinde todos à porfia, cantar um hino de louvor...

Arriscar é: nt 13

Os mais velhos não os trouxeram à Gruta mas eles vieram na mesma. 
São três e não precisaram de nada para os conduzir. 
A sua alegria pura e simples fê-los entender que este acontecimento também é para eles. 
Ao chegarem brincaram com o Jesus como se já O conhecessem antes e tivessem sido sempre próximos. Abraçavam-No e abençoavam-No, impondo-LHe as suas mãos. Tudo ali fazia sentido numa harmonia perfeita. 
O Jesus acolhia-os de tal forma que parecia que só Tinha vindo para eles e para aquela comunhão.
E mesmo quando partiram, as suas gargalhadas e brincadeiras continuaram a ecoar nas paredes da Gruta como se nunca dali saíssem.
Felizes as crianças e os

que são como elas, disse a Maria!